sábado, 21 de fevereiro de 2009

Dizer “Te Amo” para uma pessoa que diz não acreditar no amor é um tanto quanto estranho para mim. Mas, disse.

Disse porque era o que sentia na hora e ainda sinto, disse porque não podemos deixar passar essas emoções que vêem a tona quando menos esperamos.

O mais estranho não foi dizer “Te Amo”, o mais estranho foi depois. Não sei como uma pessoa que diz não acreditar no amor reage quando ouve “Te Amo”.

Não sei, mas espero de coração fazer a diferença para ele. Espero poder fazer com que ele acredite de novo em tudo que é bom e verdadeiro. Espero que ele acredite em mim e no que digo.

Fiquei com medo de assustá-lo. É tão difícil agir, raciocinar sobre isso que, não sei mais se devo novamente dizer “Te Amo”. É um conflito interno.

Mas, por via das dúvidas é melhor dizer mais uma vez:

“Te Amo”.

9 comentários:

Moça do Fio disse...

Diga, diga sempre que puder. Faz bem além de ver que se é amado, ouvir também.
A voz humana é maravilhosa!!

Beijos!

Thiago disse...

quem sabe com o tempo ele passe a acreditar... de tanto ouvir, passa a sentir e aí já foi.

André disse...

tem coisa que não dá pra entender, tem coisa que não é preciso crer... tem que sentir e só. vai ver ele sente e nem sabe ;)

gostei do blog.

Rodrigo Américo Tardem disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Larissa Santiago disse...

vai aprender a acreditar com vc!

;)

Thyago David. disse...

Gostei da sua atitude Carol.
Amar é verbo intransitivo, independente.. depende só de quem ta amando.
Diga mesmo, continue a dizer.

Até quando você achar que ama.. ;)

Beijos.

Thiago disse...

apareça!

mayara disse...

você é uma linda,carol!

Amante do saber disse...

Gosto muito de ler o que voce escreve...São palavras carregadas de sentimentos e emoções, é como se fosse o retrato de nossas próprias experiências...Parabens!